Por Kátia De Paula, do DNAzul.

Nós tínhamos só um time.

Sim, um time que venceu o estadual com união, disciplina tática, raça e coragem.

Perdemos três jogadores titulares.

Dois por lesão (Bruno e Renato) o outro foi “desligado” (Robinho).

No jogo de hoje foi visível á falta de elenco.

Patric não rendeu na lateral, errou muito. O substituto dele é Aelson (?).

Bruno não tem substituto nesse elenco.

Não temos lateral esquerdo.

Pirão não pode jogar por ali. Não rende.

Cássio não é Renato Santos.

Jogamos mal novamente.

Saímos na frente com um gol irregular.

O JEC virou o placar merecidamente.

Maria não conseguiu arrumar o time.

Além do banco não ajudar, ele cometeu alguns erros nas substituições.

Diogo Orlando é um volante que não tem saída de bola e não vamos resolver nem mudar nenhum jogo, colocando ele pela lateral.

Pirão deveria ter continuado no jogo, na posição do Diogo Orlando.

Nunes não viu a bola, e nas poucas vezes que ela chega nele…

A gente sabe que precisa qualificar nosso elenco e as posições deficientes são claras.

Espero que Cleber Santana não desanime;

Que o nosso Clube qualifique e rápido, o elenco nas posições carentes.

Nenê estreia. Jogou mais na frente e tentou alguma coisa. Não foi feliz.

Palhinha tentou dar mais mobilidade a meia cancha. Fez uma jogada, a do gol avaiano.

Laércio entrou novamente pra resolver. Não resolveu nem vai resolver.

Não temos elenco, tínhamos um time.

A série B a gente conhece.

Não é, Avaí Futebol Clube?

Ela não precisaria estar se apresentando pra nós.

Mas é o que ela está fazendo nesses primeiros jogos.