Por Kk De Paula, do DNAzul.

Sem muita qualidade, mas com muita raça, o nosso Avaí conquistou mais uma vitória.

Como é muito mais difícil vencer quando o nosso craque não joga bem.

Nas últimas duas vitórias o nosso time foi guerreiro e conquistou três pontos porque soube jogar com vontade. Vontade que tem se sobreposto a todas as dificuldades.

Ontem, nosso Coração de Leão, Emerson Nunes, foi merecidamente vitorioso porque ao colocar Pirão no lugar do desligado Julinho, venceu o jogo;
foi vencedor porque ele e Maria têm o respeito desse grupo;
foi vencedor porque os dois estão conseguindo, novamente, arrumar o estrago que a Presidência do Clube causou a esse grupo quando demitiu sem avisar a eles, campeões estaduais, o gerente de futebol Carlos Arini;
foi vencedor porque esse grupo tem caráter, força de vontade, garra e muita, muita vontade de vestir a nossa camisa;
foi vencedor porque a nossa torcida, a torcida presente, é realmente singular.
Singularmente Avaiana.

A vibração do Laércio na comemoração do seu gol demonstra tudo que escrevi acima:
Amor ao time, respeito ao escudo e a nossa camisa.
Urrou como um Leão.