WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` MODIFY form_name VARCHAR(127) CHARACTER SET utf8

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` MODIFY field_name VARCHAR(127) CHARACTER SET utf8

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` MODIFY field_value longtext CHARACTER SET utf8

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD COLUMN `field_order` INTEGER

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD COLUMN `file` LONGBLOB

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD INDEX `submit_time_idx` ( `submit_time` )

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` MODIFY COLUMN submit_time DECIMAL(16,4) NOT NULL

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD INDEX `form_name_idx` ( `form_name` )

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD INDEX `form_name_field_name_idx` ( `form_name`, `field_name` )

16ª rodada da Série B

Posts Tagged ‘16ª rodada da Série B’

Sérgio Guedes deixa Ceará e assume Azulão

domingo, agosto 18th, 2013

Por Blog do Ademar.

Após o encerramento da 16ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, no sábado (17/8), neste domingo conhecemos a 16ª troca de treinador, ou seja, um por rodada. Mas ninguém foi demitido. A troca das cadeiras aconteceu dentro da própria competição, entre São Caetano e Ceará.

Sérgio Guedes vai para o Azulão

Após a demissão do técnico Marcelo Veiga, a diretoria do São Caetano acompanhou a derrota, dentro de casa, do Azulão por 1 a 0 para o Boa Esporte, e, consequentemente, a entrada do clube na zona do rebaixamento da Série B.

Para piorar, a pressão da pequena torcida do São Caetano foi forte. Afinal, o clube já havia sido rebaixado no último Campeonato Paulista.

E para tentar serenar os ânimos, a diretoria do São Caetano anunciou neste domingo a contratação do técnico Sérgio Guedes, que estava no Ceará, mas pediu demissão para retornar ao futebol paulista. Com o novo treinador chegam os auxiliares Everaldo Pierrote e Gustavo Bueno.

A apresentação de Sérgio Guedes no São Caetano acontecerá nesta segunda-feira (19). Já o Ceará vai atrás de um novo treinador. E, acreditem, um dos nomes cogitados é o de Marcelo Veiga.

DANÇA DOS TÉCNICOS NA SÉRIE B

1) BRAGANTINO – Mazola Júnior foi demitido e chegou Benazzi

2) PAYSANDU – Lecheva foi demitido e chegou Givanildo Oliveira

3) CEARÁ – Leandro Campos foi demitido. Sérgio Guedes foi contratado

4) ICASA – Francisco Diá pediu demissão. Sidney Moraes foi contratado

5) ABC – Paulo Porto foi demitido e chegou Waldemar Lemos

6) AVAÍ – Ricardinho foi demitido e chegou Hemerson Maria

7) ATLÉTICO-GO – Waldemar Lemos foi demitido e chegou Renê Simões

8) ASA – Ricardo Silva foi demitido e chegou Leandro Campos

9) OESTE – Roberto Cavalo deixou o clube. Edison Só foi contratado

10) AMÉRICA-RN – Roberto Fernandes foi demitido. Argel foi contratado

11) JOINVILLE – Arturzinho foi demitido.Ricardo Drubscky chegou

12) PAYSANDU – Givanildo foi demitido e chegou Arturzinho

13) VILA NOVA-GO – Renê Simões foi demitido e chegou PC Gusmão

14) ABC – Waldemar Lemor foi demitido e chegou Roberto Fernandes

15) SÃO CAETANO – Marcelo Veiga é demitido e chegou Sérgio Guedes

16) CEARÁ – Sérgio Guedes pediu demissão

ABC vence de virada e com merecimento

domingo, agosto 18th, 2013

Por Diego Ivan, do Papo Alvinegro.

Com gols de Tony, Rodrigo Santos e Rodrigo para o ABC, o Alvinegro venceu por 3 a 2 de virada o Figueirense. Gols do Figueirense marcados por Ricardo Bueno e Ricardinho. O resultado fez o ABC se aproximar do restante dos times na zona de rebaixamento, a diferença agora é de cinco pontos para o 15º colocado.

ABC está a cinco pontos de sair da zona da degola (Foto Site do ABC)

Para começar preciso deixar uma coisa bem clara. O ABC mereceu a vitória. Mesmo sem reforços, desfalcado de Erick Flores, o Alvinegro mostrou que a situação é muito difícil mas que não irá entregar os pontos tão cedo.

O que é interessante no treinador Roberto Fernandes é ver que basicamente mantendo quase a mesma formação de um jogo fraco contra o Icasa, ele posiciona seus jogadores de maneira que modifica bastante a postura do time. Dessa vez ficou claro que apesar dos três volantes, o time foi bastante ofensivo, principalmente por que os volantes permitiam a subida dos laterais com mais frequência. O que trouxe um padrão de jogo agradável e que permitiu a participação efetiva de Thiaguinho pela direita e meia direita, e Tony circulando pelo meio.

É evidente que os problemas de qualidade técnica ainda são visíveis. Alexandre hoje esteve muito mal como lateral, apesar de fazer boa figura quando chamava a bola para o meio. Uma boa característica sua, mas que não produz jogadas de linha de fundo absolutamente  necessárias para um time que joga com um atacante enfiado. Felipe Alves hoje foi titular e não comprometeu, o que é ruim, já que se espera um bom futebol de um atacante rápido como ele. No primeiro tempo dividiu o ataque com Rodrigo Silva e foi responsável por duas grandes jogadas pela esquerda, o que não aconteceu em outras tantas jogadas bisonhas do atleta. Na segunda etapa Felipe formou uma trinca no ataque, ele pela esquerda, Rodrigo Silva pelo meio e Alvinho que entrou no lugar de Leandro Santos pela direita.

Rodrigo Silva é muito bom jogador. Tem nêgo do Figueirense tendo pesadelos com ele. Não está completamente recuperado, basta ver a “amarração” da perna direita dele, mas fez um trabalho sujo o jogo todo. Prendeu e mandou soltar o zagueiro que quis, teve um gol mal anulado pela arbitragem e marcou de pênalti. Muita saúde para ele.

É preciso falar de dois personagens, Tony e Rodrigo Santos. Os dois são jogadores regulares, não passam disso. Agora, ninguém pode negar que Tony fez um bom jogo dentro de suas limitações, fez um bonito gol em sua primeira jogada realmente destacada. Rodrigo Santos entrou para cobrir a lateral direita, Thiaguinho foi expulso. Entrou virado no satanás, fez um gol de falta raro, do meio da rua.

O que não pode se repetir são as duas falhas defensivas vistas nos dois gols do Figueirense. No primeiro lance Lino não acompanha o atacante que recebe nas costa de Boaventura, e Boaventura não faz o corte no lançamento, Bueno invadiu a área driblou Lopes e marcou . No segundo lance, Bileu e Lino vão fazer a marcação no jogador com a bola deixando um buraco no meio da zaga, facilitando o trabalho de Ricardinho.  Essas falhas se repetiram durante o jogo, basta lembra de quantas vezes Lopes teve que sair do gol para agarrar a bola vinda de um lançamento.

Na segunda etapa o ABC veio modificado, abandonou o terceiro volante para ter um terceiro atacante. Não foi muito bem sucedida a modificação, mas o ABC precisa vencer seus jogos, não pode se contentar com empates. Esteve pressionado, soube controlar os nervos para buscar o resultado.

O ABC volta a campo na próxima terça-feira. Vai visitar o ASA em Arapiraca dia 20 as 21:00hs. Se jogar como hoje, sem errar defensivamente, vamos quebrar esse tabu.

Ficha Técnica

Local: Estádio Frasqueirão, Natal (RN)

Árbitro: Claudio Mercante Júnior (PE).

Assistente 1:  Clovis Amaral da Silva (PE).

Assistente 2:  Gean Carlos Menezes de Oliveira (RR).

4º Arbitro: Ítalo Medeiros de Azevedo (RN).

ABC(3): Lopes; Thiaguinho, Flávio Boaventura, Lino e Alexandre (Guto); Bileu, Leandro Santos (Alvinho), Edson e Tony(1); Felipe Alves (Rodrigo Santos(1)) e Rodrigo Silva(1). Técnico: Roberto Fernandes.

Figueirense(2): Neneca; Maylson, Bruno Piris, Gutti e Wellington Saci; André Rocha, Luiz, Nem (Rafael Costa), Tchô (Botti); Ricardinho(1) (Marcelo Toscano) e Ricardo Bueno(1). Técnico: Adílson Batista.

Bruno Rangel garante empate para a Chape

domingo, agosto 18th, 2013

Por Espaço do Verdão.

O Paraná abriu dois gols de diferença, mas a Chapecoense reagiu. Jogando no seu estádio, o Índio Condá, onde não é derrotado há nove meses, o time catarinense saiu perdendo pela primeira vez na Série B, mas o seu artilheiro apareceu e salvou o vice-líder da competição de perder a invencibilidade como mandante. Em partida válida pela 16ª rodada, Reinaldo abriu o placar para o Paraná, em cobrança de pênalti no primeiro tempo, enquanto que Paulo Sérgio ampliou na etapa complementar. No entanto, Bruno Rangel marcou duas vezes nos minutos finais da partida, aos 39 e 42, e garantiu o empate em Chapecó: 2 a 2.

Com as duas equipes no G-4 da competição e com dois técnicos em ascensão no cenário nacional, o jogo prometia. No duelo à parte, Dado Cavalcanti parecia levar a melhor, com alterações que resultaram em gol, mas Gilmar Dal Pozzo contou com a maioria dos 7.698 torcedores no estádio e seu camisa 9 para manter-se na segunda posição na tabela, agora com 33 pontos e dois jogos a menos que o líder Palmeiras. Já o time paranaense segue na quarta colocação, com 27 pontos.

Chapecoense busca empate no fim com dois de Bruno Rangel (Foto: Junior Matiello / Futura Press)

Na próxima rodada, a 17ª, ambas as equipes voltam a campo no próximo sábado, também às 16h20. A Chapecoense vai até Bragança Paulista enfrentar o Bragantino, no Nabi Abi Chedid, enquanto o Paraná recebe o Sport, no Durival de Britto, em mais um confronto direto pelo G-4 da Série B. Antes porém, a Chape volta a na terça-feira para enfrentar o América-MG, no Índio Condá, em partida adiada da 9ª rodada.

Chape sai atrás pela primeira vezReinaldo marca de pênalti

Assim como nas outras seis partidas realizadas no Índio Condá, a Chapecoense pressionou desde o início. Logo nos cinco primeiros minutos, o time da casa conseguiu três escanteios. Mas aos nove, tudo mudou. Em uma das primeiras investidas da equipe paranista ao ataque, Moacir foi derrubado pelo volante Augusto em tentativa precipitada de bote e o árbitro Francisco de Paula dos Santos Silva Neto não hesitou em apontar para a marca da cal. Reinado, preciso, bateu no lado oposto do goleiro Nivaldo e comemorou o seu terceiro gol na Série B.

A Chape sentiu o golpe, já que pela primeira vez no campeonato saía perdendo como mandante. O ímpeto ofensivo ficou prejudicado pela parte emocional. Não que faltasse a vontade, mas sim organização. O time errava muitos passes, principalmente nas saídas de bola, o que proporcionava contragolpes perigosos para a agremiação visitante. Entre os 20 e 30 minutos, ainda da etapa inicial, Reinaldo e Ricardo Conceição tiveram chances reais para ampliar o marcador, cara a cara com o goleiro Nivaldo, mas falharam nas finalizações, ambas rasteiras e cruzadas, que passaram ao lado da meta.

A equipe alviverde só voltou a levar algum perigo à meta do goleiro Luis Carlos, aos 32, com o artilheiro da competição nacional. Bruno Rangel ganhou do marcador no jogo de corpo e arriscou de longe. A bola passou perto da trave direita e devolveu o moral para o time catarinense. Além de um chute forte de Augusto, dentro da área do Paraná, nada mais importante aconteceu até o fim da primeira etapa.

Paraná amplia, mas Chape reage com Bruno Rangel

O segundo tempo começou com mudanças. No Paraná, Felipe Amorim deu lugar a Paulinho Oliveira. Já na Chapecoense, Dal Pozzo lançou Soares na vaga de Augusto. A equipe passou a atuar com três atacantes na busca do empate. No entanto, as mudanças não surtiram muito efeito e poucas oportunidades claras de gol foram criadas por ambos os times.

Outras substituições foram feitas, e uma delas quase definiu a partida. Paulo Sérgio entrou no lugar de Reinado, e ampliou aos 30, com muita tranquilidade, após ficar cara a cara com o goleiro Nivaldo. Quando o resultado da partida já parecia definido, o artilheiro da Série B, Bruno Rangel, que vinha tendo uma atuação apagada, resolveu aparecer. Com bastante oportunismo, ele estufou a rede adversária duas vezes, aos 39 e aos 42. Além de chegar ao seu décimo sétimo gol na competição, Bruno Rangel garantiu um ponto precioso para a Chapecoense na luta pelo G-4 e ainda manteve a invencibilidade do clube no Índio Condá.

eXTReMe Tracker