WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` MODIFY form_name VARCHAR(127) CHARACTER SET utf8

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` MODIFY field_name VARCHAR(127) CHARACTER SET utf8

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` MODIFY field_value longtext CHARACTER SET utf8

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD COLUMN `field_order` INTEGER

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD COLUMN `file` LONGBLOB

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD INDEX `submit_time_idx` ( `submit_time` )

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` MODIFY COLUMN submit_time DECIMAL(16,4) NOT NULL

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD INDEX `form_name_idx` ( `form_name` )

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD INDEX `form_name_field_name_idx` ( `form_name`, `field_name` )

Athos (Chapecoense)

Posts Tagged ‘Athos (Chapecoense)’

Chape: Athos e Tiago Luís citam foco como essência

domingo, setembro 15th, 2013

Por Espaço do Verdão.

Seis gols, quatro jogadores diferentes balançando as redes, dois na entrevista coletiva após o vitória. A goleada por 6 a 2 sobre o São Caetano, a maior desta Série B, fez a Chapecoense mudar a rotina. Depois dos jogos em casa, geralmente concedem entrevista à imprensa o técnico e um jogador. Mas pelas circunstâncias do triunfo diante dos 7.583 torcedores no Índio Condá, o cenário mudou. Autores de gols na vitória sobre o Azulão, Athos e Tiago Luís foram os escolhidos para comentar da partida que levou o Verdão a 46 pontos.

Titular ao lado de Nenén no meio-campo verde, Athos foi às redes duas vezes. Ele marcou o terceiro, aos 17 minutos do primeiro tempo, poucos segundos após o São Caetano diminuir, e também fez o quinto, aos 35 da etapa final, em bom chute de fora. O ímpeto não só de Athos, como revelou o jogador, mas de todo o elenco, foi muito em função da conversa que os atletas tiveram na concentração e no gramado, instantes antes de a bola rolar no estádio Índio Condá.

– O grupo é uma família, que se reuniu hoje (sexta-feira) para conversar, abordar alguns pontos e botar o nosso foco, que é o acesso, a possibilidade é muito grande. O acesso pode mudar a vida de cada jogador, cada atleta aqui, principalmente para nós que estamos desde a Série C, para nós seria importantíssimo em dois anos seguidos conquistar dois acessos. E o pessoal que chegou também vai ser importantíssimo, chegar tendo um acesso, entrando na história do clube. Colocamos isso entre nós, para continuarmos focados, às vezes a equipe joga mal e perde, precisávamos ter uma conversa para ficarmos focados. Não só no hotel, falamos dentro de campo e botamos para fora, não adianta falar fora e não fazer em campo – comentou Athos, que recebeu do capitão e zagueiro Rafael Lima a garantia de segurança no setor defensivo.

Athos Chapecoense x São Caetano (Foto: Aguante Comunicação/Chapecoense)
– Tanto nós lá da frente confiamos tremendamente no pessoal de trás, quanto o pessoal de trás confia na gente. Antes da partida eles passaram essa confiança para mim, Tiago, Nenén, Bruno, isso foi determinante para ousarmos, tentarmos jogadas. Pude contribuir com a engrenagem do time nessa vitória. O Tiago fez excelente partida, foi para dentro dos caras, driblou, participou do jogo, fez gol, isso é o conjunto, enquanto tivermos isso, humildade, um correr pelo outro, temos condições de lutarmos até o final para o acesso – garante Athos, que já jogou a Série A pelo Criciúma.
Titular ao lado de Bruno Rangel no ataque do Verdão do Oeste nos últimos jogos, pela lesão de Fabinho Alves, Tiago Luís finalmente comemorou seu primeiro gol pela Chapecoense, e em alto estilo, de forma especial. Foi ele quem abriu o placar da goleada de sexta-feira. Aos quatro minutos, o atacante, aberto pela esquerda, foi para o meio, abriu espaço e arriscou, de fora mesmo, para colocar no ângulo de Rafael Santos (assista o gol no vídeo abaixo).

– Feliz, especialmente pelo gol. Espero que seja o primeiro de muitos. Agradeço ao grupo que vem me ajudando, apoiando. Não só eu, mas os outros atacantes quando entram são mais cobrados porque têm que fazer os gols. Fico feliz pela vitória, pela maneira como foi, está de parabéns o grupo, vamos continuar mantendo o foco jogo a jogo, é isso que vem fazendo a diferença, pensando no próximo jogo, vai ser o mesmo contra o Figueira – disse Tiago Luís.

Chapecoense vence Avaí e volta à liderança

domingo, julho 28th, 2013

Por Anderson Soccol, do Espaço do Verdão.

No confronto entre times de Santa Catarina, time verde aplica 3 a 1 sem ter muito trabalho e aproveita escorregada do Palmeiras para voltar à ponta

Na mesma pegada desde a arrancada no início da Série B, a Chapecoense derrubou mais um rival que cruzou seu caminho. Na tarde deste sábado, o time verde derrubou um conterrâneo para retomar a primeira colocação – mesmo com um jogo a menos e beneficiado pelo empate do Palmeiras. No jogo entre catarinenses, bateu o Avaí por 3 a 1, para a felicidade da maioria dos 4.345 presentes na Arena Condá, pela décima rodada da competição. O time azurra segue o martírio e não sai da zona de rebaixamento da competição.

Torcida vibra com vitória e volta à liderança (Reprodução)

A ‘Chapequente’ esquentou depois dos 20 minutos iniciais em que o jogo se concentrou no meio de campo. Dona do mando, viraria também dona da partida com o avanço que colocou o Avaí atrás. Assim abriu o placar, com Dão. Como se contenta em jogar no contragolpe, fez uso dele para marcar o segundo, com Athos. O Avaí da primeira etapa era o Leão de até agora na Série B: não se encontrava. Nos 45 minutos finais, mesmo com as alterações azurras e até gol de desconto, o jogo estava resolvido. A Chape manteve a partida sob seu controle. Tanto que o goleador da Série B Bruno Rangel assinou seu 11º gol na competição.

Guaratinguetá permitiu à Chapecoense, com um jogo a menos, retomar a liderança. A equipe de Gilmar Dal Pozzo pode tentar ampliar a distância para os paulistas na próxima terça, quando encara o Ceará, no Castelão, às 19h30m. Na mesma data e horário, o Avaí tentará ter mais que os nove pontos que o faz estar na zona de rebaixamento. De volta à Ressacada, os azurras encaram o Atlético-GO.

Fatal e letal

Com ares de clássico estadual, havia enorme expectativa para que a bola rolasse. Afinal, há 45 dias a Chapecoense havia feito a última partida diante de seu torcedor. Mesmo período em que ficou fora o meia avaiano Marquinhos. Mas foi Braulio da Silva Machado apitar o início para que o confronto ficasse amarrado no meio de campo e recheado de faltas. De volta ao esquadrão azurra, Marquinhos arriscou colocar o esperado fogo na partida. Bateu escanteio fechado, aos 20, e o goleiro Nivaldo foi bem. Botou a mão na bola porque ia entrar. Não foi gol, mas parece ter sido diante do recuo dos visitantes. Os donos da casa começaram a empurrar o Avaí para seu campo de defesa.

Aos 26, a atitude azurra não foi tão ruim porque o zagueiro Leandro Silva estava em cima da linha para botar a cabeça na bola e evitar que o arremate de Paulinho Dias fosse transformado em abertura de placar. Dois minutos depois o recuo azurra seria punido com uma testada fatal. Enquanto a cobrança de escanteio Paulinho Dias ia ao miolo da área, o zagueiro Dão voava na direção da bola. O encontro ocorreu no sexto andar, tão alto o salto. Da bola com as redes aconteceu depois de quicar no chão e passar por Diego: 1 a 0 Chape. A pressão funcionou e os donos da casa estavam na frente.

A Chapecoense queria mais. Como Athos quis que o tiro cruzado, aos 33, não tivesse a palma da mão direita de Diego pelo caminho ou a zaga para mandar pra longe o rebote. Márcio Diogo e Tauã faziam figuração no ataque do Avaí. Quem produzia algo mais substancial aos azuis era Marquinhos com a sua bola parada. Como a batida de falta no canto que fez Nivaldo mandar para escanteio, aos 42. A melhor tentativa também seria um duro golpe nos azurras no minuto seguinte. É que a afastada da defesa foi transformada em contragolpe letal. Anderson Pico recebeu no campo de ataque e tocou para Athos do outro lado. Se era preciso habilidade para colocar dentro do gol, o meia mostrou que a tem. Com a parte de dentro do pé direito, botou a bola no chão. Com a de fora chutou e fez a pelota ir no cantinho de Diego, que ficou parado onde estava, vendo a bola entrar: 2 a 0.

Rangel não passa em branco e marca o terceiro
da Chape (Foto: Sirli Freitas/Agência RBS)

Assinatura do goleador

Na expectativa de ver o Avaí produzindo melhor, o técnico Hemerson Maria fez duas alterações no recomeço da partida. Entraram o meia Luciano e o atacante Reis nas vagas do volante Alê e do inoperante Tauã, respectivamente. De imediato, o treinador azurra viu da área técnica seu time trocando mais passes, mas finalizando pouco. Muito mais fruto da necessidade de reverter o placar e a condição na tabela do que das alterações. Tanto que o terceiro gol verde estava prestes a acontecer.

Poderia ter sido de Fabinho Alves, aos 18, quando deu uma meia lua em Leandro Silva e soltou o chute forte e cruzado que o goleiro Diego evitou que entrasse. Mas o terceiro da tarde teve a marca do goleador da Série B. Depois do escanteio gerado, Wanderson foi no fundo e mandou rasteirinho no segundo pau. Bruno Rangel estava onde precisava estar. Só cutucou para o gol escancarado. O treinador azurra tentou a última cartada: saiu Marquinhos e entrou Diego Jardel. Mas foi a substituição processada anteriormente que minimizou o estrago. Luciano recebeu no lado esquerdo do ataque e mandou o míssil cruzado que estourou no fundo da rede Nivaldo. O Avaí diminuiu, mas não seria suficiente.

O gol de desconto virou puxão de orelha. A Chapecoense retomou a marcação rente ao rival e o Avaí não conseguiu fazer mais do que um gol. Embora Luciano tenha passado perto já nos acréscimos. Ainda que entrasse, não minimizaria o estrago ou dava fim aos sete jogos sem vencer. A Chape retomou também a liderança com o 3 a 1 sem muitos apupos.

eXTReMe Tracker