WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` MODIFY form_name VARCHAR(127) CHARACTER SET utf8

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` MODIFY field_name VARCHAR(127) CHARACTER SET utf8

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` MODIFY field_value longtext CHARACTER SET utf8

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD COLUMN `field_order` INTEGER

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD COLUMN `file` LONGBLOB

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD INDEX `submit_time_idx` ( `submit_time` )

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` MODIFY COLUMN submit_time DECIMAL(16,4) NOT NULL

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD INDEX `form_name_idx` ( `form_name` )

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD INDEX `form_name_field_name_idx` ( `form_name`, `field_name` )

G-4 da Série B 2013

Posts Tagged ‘G-4 da Série B 2013’

Série B 2013: Chapecoense bate Icasa no Romeirão

sábado, novembro 23rd, 2013

Por Espaço do Verdão.

A torcida fez muita festa. Os jogadores tinham discurso cauteloso, mas firme. E toda a cidade de Juazeiro do Norte acreditava que o Icasa sairia do jogo deste sábado, contra a Chapecoense, pela 37ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, dependendo de um mero empate para garantir o acesso no derradeiro jogo de 2013. Mas, em campo, a situação foi bem outra. Os catarinenses impuseram forte marcação e saíram com a vitória do Romeirão: 2 a 1.

Nem mesmo o clima de fé que rodeava todo o estádio foi suficiente. A ajuda dos céus não sustentou a ansiedade do Verdão do Cariri. À medida em que o relógio foi denotando o passar do tempo, os jogadores deixaram de lado o esquema tático e foram ao ataque de qualquer forma, mas sem resultado.

Os chapéus – símbolo dos romeiros em Juazeiro – erguidos pelos torcedores no início da partida foram guardados e o Icasa precisará de uma vitória fora de casa, na última rodada, e mais uma combinação de resultados para subir de divisão. Tudo porque o artilheiro Bruno Rangel e Paulinho Dias maracaram para a Chapecoense, que já está garantida na Série A. Chapinha fez o tento dos donos da casa.

Na última rodada, o Icasa vai a Curitiba encarar o Paraná, no sábado (30), às 17h20m (horário de Brasília). Já a Chape joga com o Palmeiras, em casa, no mesmo dia e horário.

Nos primeiros 15 minutos, quem esperava um Icasa arrasador viu um time mais comedido e preocupado em não errar as jogadas. Mesmo assim, Chapinha e Juninho Potiguar arriscaram chutes de fora da área, sem muito perigo. A Chapecoense sentia dificuldades em chegar ao campo de ataque. Uma única vez, a bola quase sobra para Bruno Rangel.

Mas a partir do minuto 17, o panorama do jogo foi mudando aos poucos. O Verdão do Cariri foi aumentando a pressão em uma crescente. Pelas laterais, Neilson e Gustavo ameaçavam com cruzamentos precisos. Aos 16 minutos, Juninho Potiguar criou a melhor jogada do primeiro tempo. Ele avançou pela direita, driblou dois zagueiros e cruzou. Danilo espalmou e a bola ainda bateu na trave.

A Chape, por sua vez, resolveu ousar mais quando se sentiu ameaçada. Potita e Bruno Rangel se mostraram mais agudos a partir dos 20 minutos. Resolveram arriscar chutes e também cruzamentos. O técnico Gilmar Dal Pozzo usou de pura tática para dar poucos espaços à equipe alviverde e, ao mesmo tempo, sair em contra-ataques que levavam certo perigo à meta de João Ricardo.

No entanto, a pressão icasiana não resultou em muita coisa na primeira etapa. Mesmo com os gritos de incentivo dos torcedores com seus chapéus de palha em riste, o ataque do Icasa não produzia a contento. Enquanto isso, a Chape se aproveitava para ter mais força e continuar contra-atacando. Também sem objetividade, mas com raça debaixo de um calor de 37º. E esse foi o panorama inicial…

E como o ataque icasiano não rendia, a bola acabou entrando do outro lado. Bruno Rangel partiu em velocidade e chutou na saída de João Ricardo. A bola ainda desviou em Naylhor e parou no fundo das redes: 1 a 0 para os visitantes.

Ao Verdão do Cariri, só restava pressionar ainda mais. E na base do esforço de Chapinha, o empate veio seis minutos depois. Ele precisou chutar duas vezes para vencer a defesa catarinense.

A partir daí, o jogo ganhou uma emoção que não vinha apresentando até então. Icasa e Chape se revezavam em jogadas perigosas. E ao passo que o tempo corria, o Romeirão se tornava uma enorme panela de pressão: quente dentro e fora de campo.

Neste contexto, a bola parou no pés de Paulinho Dias. Ele, sem pensar duas vezes, arriscou chutaço de longe e venceu o goleiro João Ricardo: 2 a 1. Eram 23 minutos da etapa final e a torcida começava a ver a vantagem alviverde na tabela se esvair. Mesmo assim, embora tivesse episódios de silêncio, conseguia forças para gritar pelo Verdão.

Sem esquema tático e na raça, o Icasa atendia ao pedido da torcida. Chapinha, o mais ativo no setor ofensivo da equipe cearense, teve boa oportunidade quando chutou da pequena área, mas viu o zagueiro da Chapecoense salvar o empate.

Aos 40 minutos, os catarinenses administravam a vitória e se fechavam para impedir que o Icasa chegasse, pelo menos, ao 2 a 2. O estádio já era também mais silencioso. Os torcedores já não balançavam seus chapéus, que deveria ser o símbolo da raça e da fé sertaneja. Alguns arriscavam o coro de ‘Eu acredito!’, mas sem a mesma força do início da partida.

Igual ao Verdão do Cariri, que viu o árbitro indicar o centro do campo, onde a esperança começou a acabar. A Chape saiu de campo como a coadjuvante indigesta.

Bruno Rangel garante empate para a Chape

domingo, agosto 18th, 2013

Por Espaço do Verdão.

O Paraná abriu dois gols de diferença, mas a Chapecoense reagiu. Jogando no seu estádio, o Índio Condá, onde não é derrotado há nove meses, o time catarinense saiu perdendo pela primeira vez na Série B, mas o seu artilheiro apareceu e salvou o vice-líder da competição de perder a invencibilidade como mandante. Em partida válida pela 16ª rodada, Reinaldo abriu o placar para o Paraná, em cobrança de pênalti no primeiro tempo, enquanto que Paulo Sérgio ampliou na etapa complementar. No entanto, Bruno Rangel marcou duas vezes nos minutos finais da partida, aos 39 e 42, e garantiu o empate em Chapecó: 2 a 2.

Com as duas equipes no G-4 da competição e com dois técnicos em ascensão no cenário nacional, o jogo prometia. No duelo à parte, Dado Cavalcanti parecia levar a melhor, com alterações que resultaram em gol, mas Gilmar Dal Pozzo contou com a maioria dos 7.698 torcedores no estádio e seu camisa 9 para manter-se na segunda posição na tabela, agora com 33 pontos e dois jogos a menos que o líder Palmeiras. Já o time paranaense segue na quarta colocação, com 27 pontos.

Chapecoense busca empate no fim com dois de Bruno Rangel (Foto: Junior Matiello / Futura Press)

Na próxima rodada, a 17ª, ambas as equipes voltam a campo no próximo sábado, também às 16h20. A Chapecoense vai até Bragança Paulista enfrentar o Bragantino, no Nabi Abi Chedid, enquanto o Paraná recebe o Sport, no Durival de Britto, em mais um confronto direto pelo G-4 da Série B. Antes porém, a Chape volta a na terça-feira para enfrentar o América-MG, no Índio Condá, em partida adiada da 9ª rodada.

Chape sai atrás pela primeira vezReinaldo marca de pênalti

Assim como nas outras seis partidas realizadas no Índio Condá, a Chapecoense pressionou desde o início. Logo nos cinco primeiros minutos, o time da casa conseguiu três escanteios. Mas aos nove, tudo mudou. Em uma das primeiras investidas da equipe paranista ao ataque, Moacir foi derrubado pelo volante Augusto em tentativa precipitada de bote e o árbitro Francisco de Paula dos Santos Silva Neto não hesitou em apontar para a marca da cal. Reinado, preciso, bateu no lado oposto do goleiro Nivaldo e comemorou o seu terceiro gol na Série B.

A Chape sentiu o golpe, já que pela primeira vez no campeonato saía perdendo como mandante. O ímpeto ofensivo ficou prejudicado pela parte emocional. Não que faltasse a vontade, mas sim organização. O time errava muitos passes, principalmente nas saídas de bola, o que proporcionava contragolpes perigosos para a agremiação visitante. Entre os 20 e 30 minutos, ainda da etapa inicial, Reinaldo e Ricardo Conceição tiveram chances reais para ampliar o marcador, cara a cara com o goleiro Nivaldo, mas falharam nas finalizações, ambas rasteiras e cruzadas, que passaram ao lado da meta.

A equipe alviverde só voltou a levar algum perigo à meta do goleiro Luis Carlos, aos 32, com o artilheiro da competição nacional. Bruno Rangel ganhou do marcador no jogo de corpo e arriscou de longe. A bola passou perto da trave direita e devolveu o moral para o time catarinense. Além de um chute forte de Augusto, dentro da área do Paraná, nada mais importante aconteceu até o fim da primeira etapa.

Paraná amplia, mas Chape reage com Bruno Rangel

O segundo tempo começou com mudanças. No Paraná, Felipe Amorim deu lugar a Paulinho Oliveira. Já na Chapecoense, Dal Pozzo lançou Soares na vaga de Augusto. A equipe passou a atuar com três atacantes na busca do empate. No entanto, as mudanças não surtiram muito efeito e poucas oportunidades claras de gol foram criadas por ambos os times.

Outras substituições foram feitas, e uma delas quase definiu a partida. Paulo Sérgio entrou no lugar de Reinado, e ampliou aos 30, com muita tranquilidade, após ficar cara a cara com o goleiro Nivaldo. Quando o resultado da partida já parecia definido, o artilheiro da Série B, Bruno Rangel, que vinha tendo uma atuação apagada, resolveu aparecer. Com bastante oportunismo, ele estufou a rede adversária duas vezes, aos 39 e aos 42. Além de chegar ao seu décimo sétimo gol na competição, Bruno Rangel garantiu um ponto precioso para a Chapecoense na luta pelo G-4 e ainda manteve a invencibilidade do clube no Índio Condá.

Festa catarinense no G-4 da Série B 2013

domingo, junho 2nd, 2013

Por Blog do Ademar.

O futebol catarinense está deitando e rolando após três rodadas completas da Série B do Campeonato Brasileiro. De maneira inacreditável, os quatro clubes que estão no G-4 são do estado de Santa Catarina. O líder isolado, único com 100% de aproveitamento, comandado pelo técnico Adilson Batista, é o Figueirense, com nove pontos após derrotar o Sport, em Florianópolis, por 3 a 2.

O Figueirense conta ainda com outra façanha para se manter na ponta da tabela. Trata-se do atacante Rafael Costa, o artilheiro isolado da Série B com cinco gols.

Na vice-liderança aparece a Chapecoense, vice-campeã catarinense, que superou o São Caetano, na cidade de São Caetano do Sul, por 1 a 0, e pulou para a segunda colocação com sete pontos.

Com os mesmos sete pontos, mas na terceira colocação pelos critérios técnicos, aparece o Avaí, que mesmo atuando na cidade de Juazeiro do Norte venceu o Icasa, de virada, por 4 a 3.

E finalizando o domínio catarinense, o Joinville, atuando ao lado da sua fanática torcida, bateu o ASA-AL por 2 a 0, assumiu a quarta colocação.

Confira os resultados e a classificação da Série B:

Sexta-feira – 31/5

Joinville 2 (Rafinha e Marcelo Costa) x ASA-AL

Icasa 3 (Neto e Juninho Potiguar 2) x Avaí 4 (Luiz Otávio, contra, Beto, Márcio Diogo e Cléber Santana)

Paysandu 1 (Yago Pikachu) x América-RN 1 (Cascata)

Oeste 1 (Piauí) x Paraná 0

Figueirense 3 (Maylson e Rafael Costa 2) x Sport 2 (Gabriel Santos e Ritchelly)

ABC-RN 1 (Rodrigo Silva) x Ceará 1 (Lulinha)

Sábado - 1/6

Palmeiras 0 x América-MG 1 (Nikão)

Bragantino 2 (Lincom e Raphael Andrade) x Guaratinguetá 0

Boa Esporte-MG 0 x 0 Atlético-GO

São Caetano 0 x Chapecoense 1 (André Paulino)

Classificação
1º Figueirense - 9 pontos
2º Chapecoense - 7 pontos
Avaí - 7
4º Joinville - 6 pontos
Palmeiras - 6
6º Oeste - 5 pontos
7º Ceará - 5
8º Paraná - 4 pontos
Icasa-CE - 4
Atlético-GO - 4
Boa Esporte-MG - 4
12º Sport - 3 pontos
América-MG - 3
Bragantino - 3
Guaratinguetá - 3
16º América-RN - 2 pontos
Paysandu - 2 pontos
São Caetano - 2
19º ABC-RN - 1 ponto
ASA-AL - 1

eXTReMe Tracker