WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` MODIFY form_name VARCHAR(127) CHARACTER SET utf8

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` MODIFY field_name VARCHAR(127) CHARACTER SET utf8

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` MODIFY field_value longtext CHARACTER SET utf8

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD COLUMN `field_order` INTEGER

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD COLUMN `file` LONGBLOB

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD INDEX `submit_time_idx` ( `submit_time` )

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` MODIFY COLUMN submit_time DECIMAL(16,4) NOT NULL

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD INDEX `form_name_idx` ( `form_name` )

WordPress database error: [Table 'futepoca1.sb_cf7dbplugin_submits' doesn't exist]
ALTER TABLE `sb_cf7dbplugin_submits` ADD INDEX `form_name_field_name_idx` ( `form_name`, `field_name` )

Índio Condá

Posts Tagged ‘Índio Condá’

Chape: Athos e Tiago Luís citam foco como essência

domingo, setembro 15th, 2013

Por Espaço do Verdão.

Seis gols, quatro jogadores diferentes balançando as redes, dois na entrevista coletiva após o vitória. A goleada por 6 a 2 sobre o São Caetano, a maior desta Série B, fez a Chapecoense mudar a rotina. Depois dos jogos em casa, geralmente concedem entrevista à imprensa o técnico e um jogador. Mas pelas circunstâncias do triunfo diante dos 7.583 torcedores no Índio Condá, o cenário mudou. Autores de gols na vitória sobre o Azulão, Athos e Tiago Luís foram os escolhidos para comentar da partida que levou o Verdão a 46 pontos.

Titular ao lado de Nenén no meio-campo verde, Athos foi às redes duas vezes. Ele marcou o terceiro, aos 17 minutos do primeiro tempo, poucos segundos após o São Caetano diminuir, e também fez o quinto, aos 35 da etapa final, em bom chute de fora. O ímpeto não só de Athos, como revelou o jogador, mas de todo o elenco, foi muito em função da conversa que os atletas tiveram na concentração e no gramado, instantes antes de a bola rolar no estádio Índio Condá.

– O grupo é uma família, que se reuniu hoje (sexta-feira) para conversar, abordar alguns pontos e botar o nosso foco, que é o acesso, a possibilidade é muito grande. O acesso pode mudar a vida de cada jogador, cada atleta aqui, principalmente para nós que estamos desde a Série C, para nós seria importantíssimo em dois anos seguidos conquistar dois acessos. E o pessoal que chegou também vai ser importantíssimo, chegar tendo um acesso, entrando na história do clube. Colocamos isso entre nós, para continuarmos focados, às vezes a equipe joga mal e perde, precisávamos ter uma conversa para ficarmos focados. Não só no hotel, falamos dentro de campo e botamos para fora, não adianta falar fora e não fazer em campo – comentou Athos, que recebeu do capitão e zagueiro Rafael Lima a garantia de segurança no setor defensivo.

Athos Chapecoense x São Caetano (Foto: Aguante Comunicação/Chapecoense)
– Tanto nós lá da frente confiamos tremendamente no pessoal de trás, quanto o pessoal de trás confia na gente. Antes da partida eles passaram essa confiança para mim, Tiago, Nenén, Bruno, isso foi determinante para ousarmos, tentarmos jogadas. Pude contribuir com a engrenagem do time nessa vitória. O Tiago fez excelente partida, foi para dentro dos caras, driblou, participou do jogo, fez gol, isso é o conjunto, enquanto tivermos isso, humildade, um correr pelo outro, temos condições de lutarmos até o final para o acesso – garante Athos, que já jogou a Série A pelo Criciúma.
Titular ao lado de Bruno Rangel no ataque do Verdão do Oeste nos últimos jogos, pela lesão de Fabinho Alves, Tiago Luís finalmente comemorou seu primeiro gol pela Chapecoense, e em alto estilo, de forma especial. Foi ele quem abriu o placar da goleada de sexta-feira. Aos quatro minutos, o atacante, aberto pela esquerda, foi para o meio, abriu espaço e arriscou, de fora mesmo, para colocar no ângulo de Rafael Santos (assista o gol no vídeo abaixo).

– Feliz, especialmente pelo gol. Espero que seja o primeiro de muitos. Agradeço ao grupo que vem me ajudando, apoiando. Não só eu, mas os outros atacantes quando entram são mais cobrados porque têm que fazer os gols. Fico feliz pela vitória, pela maneira como foi, está de parabéns o grupo, vamos continuar mantendo o foco jogo a jogo, é isso que vem fazendo a diferença, pensando no próximo jogo, vai ser o mesmo contra o Figueira – disse Tiago Luís.

Chapecoense bate Guará e é líder em aproveitamento

domingo, agosto 11th, 2013

Por Espaço do Verdão.

A novidade de um jogo da Série B no domingo levou 5.782 torcedores ao estádio Índio Condá, em Chapecó. E a maioria vestida verde viu a vice-líder da Série B jogar o suficiente para vencer o Guaratinguetá por 1 a 0. Com gol de falta de Danilinho e aproveitando falha do goleiro Everson – o segundo em sequência do meia e da mesma maneira, de bola parada -,  a Chapecoense segue invicta jogando em casa, em partida que fechou a 14ª rodada da Segundona. O confronto aconteceria no sábado, mas foi adiado para este domingo, após a delegação do Guará não conseguir chegar a tempo em Chapecó.

A vitória, além de manter a equipe catarinense a dois pontos do Palmeiras, fez com que a vice-líder abrisse nove para o quinto colocado, o Boa Esporte, dando tranquilidade para a sequência da Série B. O Guaratinguetá briga na parte de baixo da tabela, com 14 pontos e na 18ª colocação.

Com o adiamento da partida, a Chapecoense, que já tinha um jogo a menos na tabela, teve seu duelo contra o América-RN postergado para o dia 27 de agosto. O Guaratinguetá também precisou mudar o dia da próxima rodada. O embate diante do Figueirense, em casa, foi transferido para quarta-feira, às 19h.

Anderson Pico disputa bola com Júnior Xuxa e Douglas Tanque (Foto: Aguante Comunicação/Chapecoense)

Sono no domingo e poucos chutes a gol

Jogar a Série B no domingo é fato tão raro que os jogadores de Chapecoense e Guaratinguetá pareceram não digerir a ideia no primeiro tempo. Com sono, as equipes pouco criaram. A marcação, geralmente mais apertada em partidas sem chances claras, também não era das melhores. Faltou vontade. Durante 45 minutos, apenas três chutes com direção, todos dos catarinenses.

Aos quatro, Augusto surpreendeu Everson de longe. Com o peito do pé, a bola subiu e caiu de repente. O goleiro da Garça apenas olhou para trás e torceu. Deu certo, a finalização acertou em cheio a trave. Passaram-se 20 minutos até que os goleiros precisassem se mexer para algo que não fosse um tiro de meta, em novo chute do volante do Verdão.

Nem o artilheiro da Série B conseguiu tirar o zero do placar na etapa inicial. Depois de um cruzamento de Paulinho Dias, Bruno Rangel furou. A bola ainda bateu em sua coxa, mas parou no goleiro do Guaratinguetá. Os paulistas, por sua vez, tentaram armar os contragolpes. Na única tentativa bem sucedida, o árbitro Adriano Milczvski indicou que antes da conclusão de Wagner Líbano, após um cruzamento de Júnior Xuxa, a bola havia saído. No apito do intervalo, a disposição que faltou em campo sobrou para pressionar o juiz.

Troca surte efeito, gol sai e Chapecoense controla a partida

Insatisfeito com seu time, Gilmar Dal Pozzo mudou. E deu certo. Aos três minutos Danilinho, que entrou no lugar do volante Augusto, bateu falta no meio do gol. Traído pelo quique da bola e pelo sol em seu rosto, Everson se armou para espalmar, mas errou a bola e fez a festa da maioria da torcida presente no estádio Índio Condá: 1 a 0 Chape.

A falta de vontade exibida no primeiro tempo pareceu ter ficado nos vestiários do estádio. Ainda mais para o Guaratinguetá. Com o placar adverso, a Garça deu o primeiro chute a gol com perigo na partida aos nove minutos. Depois de uma enfiada de bola de Júnior Xuxa, Juninho invadiu a área e enfiou a bomba. O chute passou à direita de Nivaldo, que nem teve tempo de saltar à bola. A tentativa contagiou os companheiros. Quatro minutos mais tarde, Tiago Ulisses arriscou de fora e por pouco não encontrou o ângulo do gol da Chapecoense.

Depois do aperto, o Verdão passou a colocar a bola no chão. Com calma, buscava espaços, e encontrou na bola parada. Aos 27, Bruno Rangel testou no chão, e Everson fez linda defesa, mostrando que a falha no gol foi apenas azar.

Com o andar do relógio, o técnico Carlos Octávio soltou a equipe. O resultado negativo seria desastroso, e o treinador colocou em campo todas as armas ofensivas. Só que as trocas pararam em um dos fundamentos que a Chapecoense mais domina, a marcação. Sem dar brechas, o Verdão do Oeste chegou à 10ª vitória e manteve a invencibilidade em casa.

CHAPECOENSE JOGA O SUFICIENTE E BATE GUARATINGUETÁ EM FALHA DO GOLEIRO

domingo, agosto 11th, 2013

Via: Espaço do Verdão
Leia a íntegra


Chapecoense x Guaratinguetá

domingo, agosto 11th, 2013

Via: Furacão do Oeste
Leia a íntegra


Chapecoense vence mas uma!

domingo, agosto 11th, 2013

Via: Furacão do Oeste
Leia a íntegra


Jogo entre Chapecoense x Guará é adiado

sábado, agosto 10th, 2013

Por Blog do Ademar.

A partida entre Chapecoense e Guaratinguetá, válida pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B foi adiada. O jogo será no domingo (11/8), às 16 horas, no estádio Índio Condá, em Chapecó. O jogo aconteceria neste sábado (9/8), às 16h20, mas devido ao atraso na saída do voo do time do Vale do Paraíba o confronto foi transferido.

O Guaratinguetá não terá o goleiro titular Saulo, suspenso, diante da Chapecoense. O técnico Carlos Octávio escolheu Everson, de 23 anos, para ser o substituto.

“Estou pronto. Venho trabalhando e esperando por essa oportunidade. É claro que não foi da forma que eu queria, com o Saulo tomando cartão, mas estou trabalhando desde que cheguei ao Guará”, explicou. “Desde que cheguei só tive um jogo fácil, contra o Rio Claro, no Paulista da Segunda Divisão. O restante só teve jogos difíceis, como Portuguesa, América-MG, Criciúma, Ipatinga”, disse Everson.

Como todo jogador, o goleiro também precisa de ritmo de jogo, obstáculo que o goleiro espera superar.

“Treino é treino e jogo é jogo. A gente fica um pouco acanhado nas bolas áreas. Mas treinamos todos os dias. Participo de coletivo, treinos de finalizações e posso ter um pouco de dificuldade em uma bola ou outra, mas tento adquirir esse ritmo no dia-a-dia”, ressaltou.

Everson chegou ao Guaratinguetá em 2010, com isso já atuou com boa parte do elenco em outras competições, além de já conhecer bem o jeito de trabalho de Carlos Octávio.

“Conheço os meus zagueiros e eles conhecem as minhas características que é um pouco diferente da do Saulo. Eu sei como eles jogam e eles também sabem o meu jeito. Sou um goleiro mais arrojado. Sei que será um jogo difícil, mas espero não ter problemas”, concluiu.

eXTReMe Tracker